Você está aqui
Home > Dicas > Atrativos no Rio de Janeiro para visitar durante as Olimpíadas

Atrativos no Rio de Janeiro para visitar durante as Olimpíadas

Muita gente colocou o Rio de Janeiro como destino no mês de agosto, o principal motivo são os Jogos Olímpicos. Aproveite o intervalo de um jogo para o outro e conheça os principais atrativos que a Cidade Maravilhosa proporciona.

olimpiadas

Você sabe como surgiu as Olimpíadas?

Originaram-se por volta do século VIII a.C., no contexto da antiga Hélade. A realização dos jogos ocorria na cidade de Olímpia – por isso o nome “Olimpíadas” –, para onde os cidadãos das outras cidades peregrinavam a fim de participarem das competições. O primeiro atleta a vencer uma prova em Olímpia teria sido Corobeu, em 776 a.C. – a prova era de corrida.

Dentro da tradição mitológica, os jogos de Olímpia foram criados pelo herói Hércules, filho do deus Zeus com uma mortal.

Já aprendeu um pouco da história e agora vamos as dicas do que fazer no Rio:

Cristo Redentor

Cristo

Principal cartão-postal da cidade, o Cristo Redentor foi eleito pelos cariocas como a “Maravilha do Rio”. O monumento fica no alto do morro do Corcovado, a 700 metros de altitude, onde um mirante panorâmico descortina grande parte do Rio de Janeiro.

Para chegar lá em cima há duas maneiras: de van autorizada ou de trem. O Trem do Corcovado, que parte do Cosme Velho, faz um percurso de 3.800 metros em meio a jardins temáticos e a viagem dura cerca de 20 minutos. Os ingressos devem ser comprados com antecedência (pela internet ou pontos de venda no Rio e várias cidades do Brasil), com dia e hora marcados. Já as vans partem de Copacabana (Praça do Lido), Largo do Machado e Paineiras – os bilhetes podem ser comprados nos locais e também pela internet e com antecedência, pois também tem dia e hora marcados.

Inaugurada em 1931, a imagem do Cristo Redentor é considerada a maior estátua em estilo art déco do mundo. Visível de diversos pontos da cidade e confeccionada em pedra-sabão, tem 30 metros de altura, 28 metros de uma extremidade à outra e pesa 1.145 toneladas.

Pão de Açúcar

DSC_0362

A emoção do passeio ao Pão de Açúcar começa bem antes de se chegar ao topo do morro, a 400 metros acima do nível do mar. A aventura tem início com a viagem de bondinho, um teleférico envidraçado que apresenta detalhes e ângulos únicos da perfeita geografia carioca. A primeira parada é feita no Morro da Urca, a 220 metros de altitude. Dali, avista-se a Baía de Guanabara e a Enseada de Botafogo. Na segunda e última parada, o visual panorâmico apresenta, além da baía, grande parte da orla da Zona Sul e de Niterói. No verão, vale a pena subir ao Pão de Açúcar no final do dia para curtir o pôr-do-sol ou à noite, para ver as luzes da cidade e badalar no Noites Cariocas – shows com grandes nomes da música brasileira.

Santa Teresa

Bonde-Santa-Tereza

Um dos cenários mais pitorescos do Rio de Janeiro, Santa Teresa fica no alto de uma colina recortada pelos trilhos do bondinho elétrico*, que voltou a circular por um pequeno trecho do bairro em julho 2015 (depois de 4 anos parado). Repleta de largos e espaços culturais que revelam paisagens das zonas Norte, Sul e Centro, ‘Santa’ é tomada por sobrados que abrigam ateliês, lojinhas de artesanato, bares e restaurantes. Um dos prédios mais importantes é o Convento de Santa Teresa, erguido no século 19 e que deu nome ao bairro. Quem optar por chegar até lá a pé, partindo da Lapa, terá a oportunidade de conhecer a mais famosa escadaria da cidade – a Selarón, com 215 degraus recobertos de mosaicos de cerâmica nas cores verde, amarelo e azul. A escada foi batizada com o nome do artista plástico chileno que assina a obra.

Jardim Botânico

Jardim-Botânico-1

Cerca de oito mil espécies de flores e plantas do Brasil e do mundo ornamentam as alamedas do jardim, criado por D. João VI em 1808. As palmeiras imperiais da época da fundação destacam-se na paisagem, assim como o roseiral e o lago com vitórias-régias. Entre os espaços mais visitados estão a estufa com plantas insetívoras e o orquidário, com mais de três mil exemplares de 600 espécies. O parque abriga ainda o jardim sensorial, feito especialmente para pessoas portadoras de deficiência visual – há inscrições em braile e as plantas selecionadas podem ser tocadas.

Copacabana

2013-copacabana-beach-view.jpg.1920x807_default

Com cerca de três quilômetros e movimentada dia e noite, a praia mais famosa do Brasil tem quiosques modernos e larga faixa de areia repleta de redes de vôlei e futevôlei. O público é variado, reunindo turistas estrangeiros, cariocas de bairros diversos, crianças, jovens e idosos. O trânsito é intenso também na ciclovia.

No fim da praia, próximo ao Forte de Copacabana, fica a estátua em bronze do escritor Carlos Drummond de Andrade. Na obra, o mineiro que era apaixonado pelo Rio e por Copa, está sentado em um banco. No verão, é comum haver fila para tirar fotos ao lado do escritor. Palco da queima de fogos do Reveillon, Copacabana também é cenário de concorridos shows e eventos esportivos ao longo do ano.

Arpoador

Arpoador Arpoador Arpoador

Frequentado por surfistas até mesmo à noite, graças à iluminação especial, o Arpoador é um dos melhores pontos da cidade para apreciar o pôr do sol – a pedra descortina vista panorâmica das praias de Ipanema e Leblon com o morro Dois Irmãos ao fundo. Ao lado fica a minúscula praia do Diabo, com ondas fortes. O Arpoador oferece ainda aparelhos de musculação, pista de skate e quiosques, além do parque Garota de Ipanema, com programação de shows de MPB em meio às árvores durante o verão.

Fonte: Férias Brasil

namochiladochris
Christian Barros, 23 anos, publicitário e moro em São Luís do Maranhão. Sou apaixonado por viagens e amo compartilhar as minhas experiências. Todas as minhas redes sociais: @barroschris

Deixe uma resposta

Top